182017abr
Está pensando em suspender a menstruação? Descubra as opções

Certos incômodos, como cólicas, alterações de humor e sangramento intenso são apenas alguns dos sintomas que podem se associar ao período menstrual. Por isso, muitas mulheres optam por bloquear a menstruação.

De acordo com o ginecologista e obstetra de São Paulo, Dr. Gustavo de Paula Pereira, é preciso atenção ao decidir suspender a menstruação, já que, para isso, será necessário o uso de algum método hormonal.

Dessa forma, o primeiro passo a ser seguido para quem pretende parar de menstruar é procurar um ginecologista. Ele completa: “O uso de hormônios sempre deve ser feito sob supervisão médica, que avaliará os riscos e eventuais contra-indicações ao uso dessas substâncias”, complementa o especialista.

Caso não haja alguma contra-indicação, a decisão de suspender o ciclo deve ser tomada pela paciente, sempre amparada pelas orientações do seu médico. Abaixo, o Dr. Gustavo citou algumas das maneiras utilizadas para interromper a menstruação:

– Diu hormonal: É um dispositivo intrauterino que libera diariamente uma pequena dose de hormônio, durante cinco anos. Boa parte das mulheres fica em amenorréia, isto é, sem menstruar em até um ano após a sua inserção. Entre os inconvenientes relatados pelas usuárias pode ocorrer um sangramento vaginal constante ou intermitente, em pequena quantidade. Sensibilidade mamária, acne, inchaço e dores de cabeça são queixas menos frequentes. Sua inserção deve ser feita por profissional treinado e é bastante desconfortável em alguns casos.

– Injeção de progesterona: A progesterona injetável trimestral é um método bastante usado, que leva à amenorréia em mais de 50% dos casos em até 2 anos. Ela também pode causar sangramento vaginal constante ou intermitente e seu uso se associa a ganho de peso, que pode ser contornado com controle da dieta. Deve-se levar em conta que pode haver atraso no retorno da fertilidade após a interrupção do seu uso, demorando cerca de 4 meses a mais quando comparado a outros métodos anticoncepcionais.

– Pílula de uso contínuo: Tomada diariamente, a pílula é uma boa opção na tentativa da suspensão do ciclo. Também pode causar sangramento vaginal intermitente, sensibilidade mamária e dores de cabeça. Seu grande inconveniente é a necessidade de tomar diariamente, porém seu uso pode ser interrompido a qualquer momento.

– Implante subcutâneo: Um pequeno bastão semi-rígido contendo hormônio é colocado no braço e libera pequenas doses diárias de hormônio; sua validade é de três anos. Podem haver sangramentos irregulares, acne, diminuição de libido e cefaléia. Sua inserção e retirada exigem anestesia local e profissional habilitado para realizar o procedimento.

“É importante alertar que todas as opções apresentadas são métodos anticoncepcionais e que a amenorréia é um efeito secundário do uso dessas substâncias, não sendo possível garantir que ela acontecerá em todos os casos. Converse com seu ginecologista e decidam qual o método mais indicado para o seu caso”, finaliza.


Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados *